23/07/2024 +55 (83) 98773-3673

PolĂ­tica

Andre@zza.net

Deputado aciona PGR para investigar acordo multimilionário do BB

Por Blog do Elias Hacker 08/07/2024 às 12:32:19

O deputado federal Evair de Melo (PP-ES) acionou a Procuradoria-Geral da República (PGR) para que seja instaurada uma investigação sobre o acordo judicial de R$ 600 milhões firmado entre o Banco do Brasil e duas empresas do Maranhão.

Como revelou a Crusoé com exclusividade em 21 de junho, o Banco do Brasil topou pagar uma multa multimilionĂĄria a um conglomerado de empresas – Aimar Agroindustrial e Coopergraças – que tinham, até recentemente, a participação acionĂĄria do ex-ministro de Minas e Energia dos governos Lula e Dilma, Edison Lobão.

E isso depois que o banco levou um calote do conglomerado, ainda nos anos de 1990.

Apesar do envolvimento de duas empresas distintas, o setor jurídico do Banco do Brasil deu aval para que a indenização multimilionĂĄria fosse paga a apenas umas das empresas envolvidas para que a outra envolvida fugisse de eventuais confiscos judiciais. Como também mostrou Crusoé com exclusividade, parte do acordo foi assinado pelo ministro do STJ Luís Felipe Salomão em um domingo à noite.

Na visão do deputado Evair de Melo, hĂĄ indícios de que a direção do Banco do Brasil tenha cometido os crimes de fraude à execução, crime contra a ordem tributĂĄria e advocacia administrativa no acordo.

"A decisão rĂĄpida e arbitrĂĄria, beneficiando a família do empresĂĄrio Antônio Celso Izar, ex-sócio do ministro Edison Lobão (governo Dilma Rousseff), levantou suspeitas de manobra para evitar débitos fiscais e trabalhistas, além de influĂȘncias políticas", diz o deputado no pedido de investigação.

"[A] Empresa beneficiada pelo Banco do Brasil foi denunciada por sujeitar trabalhadores a condições anĂĄlogas à escravidão, dentre outras violações de direito confirmadas por seus sócios", acrescentou ele.

"É deveras peculiar que a presidente do Banco do Brasil, nomeada pelo Partido dos Trabalhadores com a benção de Janja, empenhe-se com tamanha celeridade em favorecer indevidamente uma empresa cuja trajetória revela-se tão prejudicial ao trabalhador brasileiro", afirmou o parlamentar.

Fonte: agoranoticiasbrasil.com.br

Comunicar erro
ComentĂĄrios