30/05/2024 +55 (83) 98773-3673

PolĂ­tica

Andre@zza.net

Direita critica governo Lula por não condenar ataque a Israel

Por Blog do Elias Hacker 14/04/2024 às 18:38:32

O ataque do Irã a Israel, neste sĂĄbado (13), gerou reações entre deputados e políticos nas redes sociais. Parlamentares de direita foram mais vocais sobre o tema, expressando descontentamento à reação do governo Lula (PT) sobre a ofensiva militar, que não condenou a investida iraniana. A crítica diz respeito à nota do Ministério das Relações Exteriores, que não fez uma condenação direta ao Irã.

Do lado governista, o assunto não foi tão comentado. Parlamentares de esquerda afirmaram que foi o governo israelense que aumentou as tensões no Oriente Médio ao bombardear uma embaixada iraniana no começo do mĂȘs.

JĂĄ na direita, o senador FlĂĄvio Bolsonaro (PL-RJ) reclamou que a nota do Itamaraty sobre o ataque de drones não condena o Irã.

– E no fundo do poço tinha um alçapão! – ironizou.

O deputado federal Nikolas Ferreira (PL-MG), por sua vez, pediu uma condenação à ofensiva.

– Esperando que o governo brasileiro condene os ataques iranianos a Israel. Infelizmente não é algo fĂĄcil pra eles, pois não apoiaram a investigação da ONU contra o Irã por violação dos direitos das mulheres – escreveu.

JĂĄ a deputada federal Carla Zambelli (PL-SP) chamou a reação do governo brasileiro de "inaceitĂĄvel". Ela disse ainda que "Lula silencia diante de atos de seus aliados".

Outros parlamentares de direita expressaram solidariedade aos israelenses. O deputado estadual Gil Diniz (PL), de São Paulo, escreveu: "Vamos orar por Israel! Nosso total apoio ao povo de Israel". Quem também pediu orações pelos israelenses foi o deputado federal e pastor Marco Feliciano (PL-SP).

ATAQUE DO IRÃ E POSICIONAMENTO DO BRASIL
O Irã lançou no sĂĄbado um ataque com mais de 300 drones, mísseis balísticos e mísseis de cruzeiro, segundo Israel. O governo israelense disse ter interceptado 99% das ameaças. Foi a escalada militar mais grave no Oriente Médio desde a Guerra do Golfo, terminada em 1991.

Em resposta, o governo brasileiro fez um apelo "a todas as partes envolvidas que exerçam mĂĄxima contenção", para "evitar uma escalada" do conflito, mas não condenou a ação iraniana.

– O Governo brasileiro acompanha, com grave preocupação, relatos de envio de drones e mísseis do Irã em direção a Israel, deixando em alerta países vizinhos como Jordânia e Síria – resumiu o comunicado.

Até a manhã deste domingo (14), o único integrante do alto escalão governo federal a publicar no X sobre os ataques foi o ministro do Desenvolvimento AgrĂĄrio e Agricultura Familiar, Paulo Teixeira. Ele condenou a ofensiva iraniana, mas, ao mesmo tempo, pediu o fim de ataques israelenses em Gaza.

– Condenamos o ataque do Irã sobre Israel. Queremos paz no Oriente Médio. Exigimos o fim dos ataques à Gaza por parte de Israel. Evidentemente, ao condenar o ataque do Irã a Israel condenamos igualmente o ataque de Israel a embaixada Iraniana na Síria. O mundo precisa ajudar a evitar a presente escalada bélica no Oriente Médio – declarou.


Fonte: *AE

Comunicar erro
ComentĂĄrios