01/03/2024 +55 (83) 98773-3673

PolĂ­tica

Andre@zza.net

Relator da LDO acata emenda do governo, e passagens aéreas de ministros serão pagas com dinheiro público

Danilo Forte (União) afirmou que passagens aĂ©reas pela FAB são "mais caras"; trechos patrocinados por recurso pĂșblico serão entre BrasĂ­lia e o local de residĂȘncia de origem dos ministros

Por Rennan Santos 08/12/2023 às 17:51:29

REPRODUÇÃO

O relator da Lei das Diretrizes OrçamentĂĄrias (LDO), deputado federal Danilo Forte (União), acatou a emenda do líder do governo do Congresso, Randolfe Rodrigues (Rede), em seu relatório final. O texto propõe que passagens aéreas dos 38 ministros de Estado do governo Lula e dos 11 magistrados do Supremo Tribunal Federal (STF) sejam pagas com recurso público. No mĂȘs passado, o relator havia pedido tempo para anĂĄlise da emenda.

"Atendemos pedido formulado pela Liderança do Governo no Congresso Nacional para permitir o pagamento de passagens aéreas entre Brasília e o local de residĂȘncia de origem de membros do Poder Legislativo, Ministros do Supremo Tribunal Federal e Ministros de Estado. No mérito, a medida tende a promover economia no emprego de recursos públicos, uma vez que as passagens adquiridas junto às companhias comerciais, em geral, apresentam valores inferiores aos custos com a utilização de aeronaves da Força Aérea Brasileira", diz trecho da decisão.

A proposta pode beneficiar, ainda, membros do Ministério Público da União (MPU) e da Defensoria Pública da União (DPU). Em novembro, Danilo Forte também afirmou que uma passagem pela FAB "sai muito mais caro" e que "o ministro pagar do salĂĄrio dele é mais complicado, o salĂĄrio é muito pouco. Não sei quanto ganha um ministro, mas acho que é menos que deputado". Atualmente, o salĂĄrio bruto de um ministro do STF corresponde a R$ 41.650,92, mesmo montante pelo qual é remunerado um deputado federal. O projeto da LDO deve entrar na agenda do Congresso na próxima semana.

Fonte: JOVEM PAN

Comunicar erro
ComentĂĄrios